Coluna da Ana: De leve!

| postado em: Coluna da Ana | 0

26/04/13
Há tempos, ganhei um livro que vira e mexe estou folheando: o Almanaque anos 70, lembranças e curiosidades de uma década muito doida, de Ana Maria Bahiana. Anos férteis na moda, música, arte e costumes os anos 70 marcaram toda uma geração. O livro, uma delicia de ler, traz lembranças e um universo cultural incrível. O figurino básico das “locomotivas”, como eram chamadas por Ibrahim Sued as 
it’s girls e socialites da época, iam das mínis (vindas dos anos 60) e viraram micros antes de perder a vez para as mídis e as máxis que por fim acabaram imperando entre caretas e “desbundadas”. Traduzindo, seria entre certinhas e descoladas. Nunca vou me esquecer de uma microssaia roxa (a cor hit da época) que eu usava com uma camisa verde limão, e me achava o máximo! 
É até engraçado citar Ibrahim Sued para a geração de hoje. Precursor do jornalismo de moda, com uma língua afiada, construía e desconstruía mitos a um toque de datilografia. Foi amado e odiado e diferentemente das editoras de moda atuais e mais ainda das mil e uma blogueiras que aparecem por dia, tinha língua maldita e falava o que lhe dava na telha, sem o menor problema com a turma do politicamente correto.

E por falar em blogs e blogueiras fiquei divagando sobre uma coluna que li da Danuza Leão na Folha de S.Paulo (7/4/13), com o título: “A moda: e isso pega?” Permitam-me parodiá-la – existem os que não sabem escrever uma linha, e por mais que esteja na moda nos dias de hoje sentar na frente do computador e escrever um post sobre qualquer coisa, não vai ajudar ninguém a falar sobre moda, costumes ou comportamento com propriedade se não houver pesquisa, muita leitura e cultura geral. 
Se você gosta de roupas, maquiagem, decoração ou qualquer coisa que seja e resolveu que vai 
se tornar uma blogueira, ok, tudo bem, é legal, mas use de criatividade e coloque a sua personalidade 
em tudo o que fizer. Tente fugir do lugar comum, não se preocupe em ser a legalzinha, que acha tudo uma gracinha porque fazer mais do mesmo fica bem chatinho. 
Se você realmente quer isso, dedique seu tempo em pesquisas e estudos, mas sinto lhe informar, como tudo 
na vida isso requer talento e não é possível que haja tantos talentos natos para a mesma coisa numa mesma geração! Só pode ser moda: e ela pega!


Gostou do que leu? Curta e compartilhe com seus amigos!

Deixe uma Resposta