Coluna da Ana: High Quality X Fast Fashion

| postado em: Coluna da Ana | 0
11/04/13

Estamos falando exatamente sobre o quê? Qualidade x quantidade? Vamos colocar as duas vertentes na balança. Trocando em miúdos, quando falo high quality não estou falando de alta-custura. Essa, hoje em dia, é pra pouquíssimas pessoas, mas sim sobre o prêt-à-porter – a moda pronta para usar.
E dentro deste conceito estão as marcas que trazem coleções mais exclusivas com peças impecáveis no tecido e acabamento. São marcas bacanas que pensam moda e que têm em seus staffs estilistas que criam uma moda autoral com a preocupação do diferencial, da qualidade e da praticidade do consumidor.
E não é porque fazem peças muitas vezes atemporais que são caretas. Eles incluem no seu mix os hits da estação, mas com qualidade e shapes incríveis. Pense no conforto que é ter uma peça moderna, que seja um curinga e que combina com várias outras no seu guarda-roupa? A mulher que escolhe essa roupa dificilmente é uma fashion victim. Ela sabe o que quer e sabe misturar o atual com o atemporal com propriedade. Está sempre impecável porque, convenhamos, uma roupa boa faz muita diferença no visual como um todo.
Isso tem um preço e às vezes nem é tanto pela durabilidade e pelo caimento que ela proporciona. Gosto de olhar uma roupa pelo avesso. Aliás, tenho a mania de virar a peça para mostrar o acabamento para à cliente. Às vezes o forro é tão lindo e bem feito, que dá vontade de usar a roupa mesmo pelo avesso!

E o que dizer da fast fashion – a moda rápida. Feita por lojas de departamentos como Zara, C&A, Riachuelo e fábricas do Bom Retiro, entre outros, é rápida tanto na produção quanto na durabilidade.
São produtos baseados em tendências, feitos para usar e descartar na mesma estação. A produção é muito dinâmica, copiam tudo, jogam no mercado e logo estão partindo para a próxima leva de roupas.
Toda essa rapidez se dá em função do preço, o que com certeza, compromete a qualidade.
Aí você prova uma roupa, acha o caimento meio estranho, ah!, mas é barato, então compra assim mesmo.
Resultado: usa algumas vezes e descarta. No meu entender é um barato que sai caro.
Agora pensa num armário lotado de roupas e calçados em que nada conversa com nada. Uma profusão de estilos e cores só pode criar uma complicação na hora de escolher qual look usar.
Melhor ser adepta aos “poucos e bons”. Seu dinheiro agradece.

Deixe uma Resposta